abril 13, 2024
Você conhece as diferenças entre gripe, resfriado ou alergia? Foto: Divulgação/Agência Brasil

Você conhece as diferenças entre gripe, resfriado ou alergia?

Embora vários sintomas se sobreponham, é possível, ao analisá-los, fazer a distinção entre resfriados, gripe e rinite alérgica.
Se, para alguns, o ar fresco e as folhas vermelhas e alaranjadas são os sinais das delícias sazonais que acompanham os meses de outono e inverno, para outros são sinais de que é hora de se preparar também para a chegada de uma convidada indesejável: a rinite alérgica.
Frequentemente associada à primavera e ao verão, a temporada de rinite alérgica tem se estendido até o outono e o inverno em decorrência das mudanças nas temperaturas e nos padrões climáticos, que resultam em períodos mais longos de produção de pólen para várias espécies de plantas.

A mudança traz consequências para todos, não só para quem sofre da rinite alérgica. Com frequência nos meses mais frios, quando os resfriados e a gripe são comuns, fica difícil determinar tanto a causa dos sintomas quanto o tratamento adequado.

Como identificar e tratar

Embora vários sintomas se sobreponham, é possível, ao analisá-los, fazer a distinção entre resfriados, gripe e rinite alérgica.
Espirros e nariz escorrendo ou entupido são comuns tanto na rinite alérgica quanto nos resfriados.
No entanto, se você também tiver olhos vermelhos, lacrimejantes ou inchados e coceira na garganta, provavelmente se trata de rinite alérgica, já que esses sintomas são muito menos comuns nos resfriados. Mas, se a sua garganta estiver irritada e você também tiver tosse, provavelmente é um resfriado.
Os sintomas da gripe raramente se confundem com os da rinite alérgica – embora possam ser parecidos com os dos resfriados.
A tosse é o sintoma cruzado mais comum entre um resfriado e uma gripe. Outros, como dor de garganta, espirros ou coriza, podem às vezes ocorrer com a gripe, embora isso seja menos comum.
Da mesma forma, arrepios, fadiga e dores no corpo – que são frequentes na gripe – podem por vezes ocorrer em pessoas resfriadas, embora sejam menos característicos.
A melhor maneira de diferenciar um resfriado de uma gripe é se você tiver febre – e se estiver apresentando sintomas gastrointestinais, como vômito ou diarreia, que às vezes podem ocorrer com a gripe.

Outro sintoma a ser observado é a perda temporária de olfato e paladar. Embora esse sinal possa ocorrer em casos de rinite alérgica, geralmente é acompanhado por nariz entupido. Se você perceber que tem perda de olfato ou paladar, mas seu nariz não está entupido, você deve estar resfriado ou gripado.
Fortalecendo o seu sistema imunológico
A seguir, algumas estratégias para fortalecer o seu sistema imunológico e evitar ser derrubado por resfriado, gripe ou rinite alérgica:

Fortaleça seu intestino: Uma dieta rica em aminoácidos, vitaminas, minerais e fibras é essencial para as suas células de imunidade e consequentemente para o seu sistema imunológico. A dieta mediterrânea é considerada uma boa opção, pois contém muitas frutas, vegetais, grãos integrais, nozes e sementes, e fontes de proteína como peixe, carne ou alternativas vegetais. Além disso, considere os probióticos – especialmente misturas contendo Lactobacillus ou Bifidobacterium, que podem melhorar sua resposta imunológica e reduzir a gravidade de infecções.
Evite fumar e beber álcool: O fumo e o consumo excessivo de álcool enfraquecem as defesas imunológicas. Consumir cinco ou seis bebidas em uma noite pode suprimir o sistema imunológico por até 24 horas.

Priorize o sono: O sono é importante para manter a função imunológica, pois reduz a inflamação no corpo. Procure dormir mais, pelo menos sete horas por noite. Dormir menos do que isso pode contribuir para aumentar as chances de você sofrer de doenças comuns.
Gerenciar o estresse: O hormônio do estresse, o cortisol, afeta negativamente as células do sistema imunológico, alterando a função delas. Também aumenta os níveis de histamina na corrente sanguínea, piorando os sintomas de alergia. Praticar mindfulness pode contribuir para o controle do estresse – e, consequentemente, para o fortalecimento do sistema imunológico.

Exercício: Praticar atividade física de intensidade moderada (como uma caminhada rápida ou dança de salão) pode melhorar sua resposta imunológica. Mas é importante encontrar a medida certa, pois atividade física longa e intensa, sem descanso entre os treinos, pode piorar a função imunológica.
Vacine-se: A vacinação é essencial. Mas, como só é possível se vacinar contra o vírus da gripe, outras medidas preventivas – como lavar as mãos e usar máscara em espaços fechados movimentados – podem ajudar a protegê-lo tanto de gripes, quanto de resfriados.

Outras medidas que podem ajudar a prevenir os sintomas de quem costuma ter rinite alérgica:
Alergênicos: Evite os alergênicos que desencadeiam os sintomas. Em dias de alta contagem de pólen, considere ficar em casa, manter as janelas fechadas e usar filtros HEPA em ambientes fechados ou máscara N95 para filtrar as partículas de pólen.

Anti-histamínicos: Os anti-histamínicos vendidos sem receita, como cetirisina ou loratadina, podem ser eficazes no controle dos sintomas da rinite alérgica. Idealmente, devem ser tomados antes da exposição a alergênicos, sob orientação médica, com o uso mantido enquanto durarem os sintomas.
Considere a imunoterapia: injeções para tratamento de alergia, ou imunoterapia, podem reduzir os sintomas da rinite alérgica, reduzindo a sensibilidade do sistema imunológico para os alergênicos ao longo do tempo, gerando uma melhora duradoura. Para que seja eficaz, a imunoterapia precisa ser feita diversas vezes.
Fazer apenas alguns desses ajustes no estilo de vida pode, no entanto, fazer diferença no fortalecimento do sistema imunológico, reduzindo o risco de adoecer ou sofrer sintomas de rinite alérgica durante os meses mais frios. (Fonte: G1)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *