abril 23, 2024
Magistrado aplicava trabalho escravo Foto Ilustração

Magistrado aplicava trabalho escravo

Operação do MPF contra desembargador de SC mira empregada em condição de escravidão.

Mandado de busca e apreensão foi cumprido nesta terça-feira (6) na casa do magistrado, em Florianópolis.

A operação da Polícia Federal contra o desembargador catarinense Jorge Luiz Borba teve como objetivo apurar a suspeita de que ele mantinha a empregada em condição de escravidão, de acordo com nota divulgada pelo Ministério Público Federal (MPF). Um mandado de busca e apreensão foi cumprido nesta terça-feira (6) na casa do magistrado, em Florianópolis.

Em um comunicado oficial, o MPF afirma que foi autorizado, também, o resgate da trabalhadora.

De acordo com o MPF, a ação ocorreu após investigações feitas pela promotoria e que teriam reforçado indícios da prática criminosa “que foi relatada ao órgão e confirmadas por testemunhas ouvidas no decorrer da fase inicial da apuração”. Entre as suspeitas estão a de “trabalho forçado, jornadas exaustivas e condições degradantes”, segundo a nota divulgada pelo órgão.

Fique por dentro das últimas notícias no grupo do WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *