abril 21, 2024
Quedas frequentes ameaçam idosos Foto Ilustração

Quedas frequentes ameaçam idosos

O Número de atendimentos de idosos vítimas de quedas acidentais dispara na rede pública.

Em 2022, foram mais de 256 mil atendimentos no país. Os médicos explicam que, com o fim do isolamento social, os idosos passaram a sair mais de casa, e muitos com uma condição física pior.

O número de atendimentos de idosos vítimas de quedas acidentais disparou no último ano na rede pública.

Pelo menos uma vez por semana uma equipe de saúde bate na porta de um idoso oferecendo atendimento preventivo, o que já acontece em milhares de lares brasileiros.  Isso faz parte do programa  Acompanhante de Idosos” de várias prefeituras brasileiras. São pessoas com mais de 60 anos que estão em situação de vulnerabilidade social ou que não têm alguém para ajudar no dia-a-dia.

Nesse programa os idosos são orientados para os cuidados que precisam ter em casa para evitar acidentes. No chão, nada de tapetes e o piso do banheiro tem que estar sempre seco. 

O número de idosos que procuram os hospitais e postos de saúde de todo o país depois de sofrerem quedas aumentou em quase 20% em um ano. Em 2022, foram mais de 256 mil atendimentos na rede pública.

Os médicos explicam que, com o fim do isolamento social, os idosos passaram a sair mais de casa. E muitos com uma condição física pior.

“Os idosos foram os que menos saíram de casa, e eles só iam para o hospital realmente durante a pandemia se tivessem muito mal. Muitos deles lembram que faziam ginástica de 3 a 4 vezes por semana, saiam para caminhar…’. Durante a pandemia eles pararam de fazer isso completamente. Parando de fazer isso, a musculatura que vai perdendo a força com o envelhecimento teve um decréscimo ainda maior”, explica o fisiatra.

Fique por dentro das últimas notícias no grupo do WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *