julho 19, 2024
SINTE questiona solução para proteção escolar Foto Ilustração

SINTE questiona solução para proteção escolar

Polícia armada em escolas de SC não basta para impedir ataques, diz sindicato dos professores

Ataque ocorreu na quarta-feira, na creche Cantinho Bom Pastor. Além dos mortos, cinco crianças foram feridas.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina (Sinte-SC) afirmou nesta segunda-feira (10) que a presença de policiais armados nas escolas não será suficiente para impedir que novos ataques ocorram. O posicionamento ocorreu no mesmo dia em que o governo anunciou o reforço.

A categoria defende a contratação de um zelador por concurso público e acompanhamento com psicólogos para identificar comportamentos violentos dentro nas escolas. Em decisão, o governador Jorginho Mello (PL) afirmou que “onde a criança estiver brincando ele [agente de segurança] tem que estar junto”.

A medida do governo estadual ocorre cinco dias depois do ataque em uma creche em Blumenau, no Vale do Itajaí, onde quatro crianças morreram e cinco ficaram feridas. As vítimas tinham entre 4 e 7 anos de idade.

“É preciso uma ampla campanha junto às comunidades escolares, com as famílias e os estudantes. É preciso um acompanhamento com psicólogo e médico quando a gente identificar algum comportamento que pode levar a violência”, disse Evandro Accadrolli, coordenador do Sinte.

Fique por dentro das últimas notícias no grupo do WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *