junho 24, 2024
Acusados de neonazismo devem usar tornozeleiras Foto Divulgação

Acusados de neonazismo devem usar tornozeleiras

Flagrados em encontro neonazista em SC são soltos mediante uso de tornozeleira eletrônica, decide juiz.

Determinação é por insuficiência de provas de que eles representariam perigo à sociedade. Eles haviam sido presos em uma operação em São Pedro de Alcântara em novembro de 2022.

Os oito homens flagrados em um encontro de neonazistas em Santa Catarina em novembro de 2022 tiveram as prisões preventivas revogadas e deixaram a cadeia mediante uso de tornozeleira eletrônica. A decisão do juiz Elleston Lissandro Canali, da Vara Criminal da Região Metropolitana de Florianópolis, declarou que há insuficiência de provas sobre o perigo que eles representariam à sociedade.

Eles são acusados de integrar uma célula interestadual que tem elo com grupos internacionais. No flagrante, no ano passado, os homens estavam reunidos em um sítio na cidade de São Pedro de Alcântara, onde participavam de um encontro anual.

Na decisão, o juiz argumentou que não haveria provas suficientes sobre o perigo que o grupo apresentaria à sociedade e concedeu algumas medidas cautelares.

No entanto, reconheceu que há fotografias dos acusados, reunidos entre si, com vestimentas e símbolos que remetem ao nazismo, além de imagens salvas em celulares, e até tatuadas, que são criminosas.

Elleston Canali escreveu ainda “não estar convencido da existência de motivo” para a continuidade da prisão preventiva, já que os homens estão detidos desde o flagrante, em novembro. Disse também “confiar que os acusados tiveram a oportunidade de entender a gravidade dos fatos em que se envolveram”.

Fique por dentro das últimas notícias no grupo do WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *