junho 18, 2024
Outubro Rosa recebe incentivo em Capivari Foto: Divulgação

Outubro Rosa recebe incentivo em Capivari

Houve uma mudança de horário em relação à primeira tabela divulgada na semana passada, alusiva às ações do Outubro Rosa. A Estratégia de Saúde da Família (ESFs) do bairro Santa Lúcia atenderá as mulheres no dia 22, e não mais no dia 29. Nesta sexta-feira (7), a unidade do Santo André já atendeu o público das 17h às 20h.

Nesta segunda (10), será a vez da ESF Centro II atender em horário especial nesta Campanha do Outubro Rosa, que ganha corpo com a série de atividades organizada pela Secretaria da Saúde. Depois, fecha, durante a semana, na sequência, Caçador (11), Ilhotinha (13) e Santa Lúcia (14).

São exames preventivos de colo uterino e agendamentos de mamografia. Os postos do Otto, Vila Flor, Três de Maio, Centro I e Alvorada já realizaram atendimento estendido nesta semana. O foco, de acordo com o secretário da Pasta, Everson Martins, é a prevenção do câncer. “Além disso, o autoexame, muito importante para detectar a doença oncológica nas mamas, por exemplo, será orientado em seu passo a passo ao público-alvo”, orienta o gestor público.

Além dos horários citados de segunda a sexta, a Prefeitura ainda organizou três sábados especiais (dias 15, 22 e 29), com atendimento das 8h às 17h. Médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem estarão dedicados às mulheres.

Outros serviços

Além dos exames citados, encaminhamentos e agendamentos de mamografias, as mulheres poderão, nesses horários especiais, atualizar suas cadernetas de vacinação, pois terão à disposição os imunizantes de DT (difteria e tétano), Covid-19, Febre Amarela, Influenza, Hepatite B e Tríplice Viral, serviço resultante de ação conjunta envolvendo a equipe da Vigilância em Saúde.

Alerta!

No Brasil, excluindo os tumores de pele não melanoma, o câncer de mama é o mais incidente em mulheres de todas as regiões, com taxas mais altas no Sul e Sudeste. Para 2022, são estimados 66.280 casos novos, o que representa uma taxa ajustada de incidência de 43,74 casos por 100 mil mulheres.

Câncer do colo do útero

É caracterizado pela replicação desordenada do epitélio de revestimento do órgão, comprometendo o tecido subjacente (estroma) e podendo invadir estruturas e órgãos contíguos ou à distância. Há duas principais categorias de carcinomas invasores do colo do útero e ambos são causados por uma infecção persistente por tipos oncogênicos do Papiloma Vírus Humano (HPV). É uma doença de desenvolvimento lento, que pode cursar sem sintomas em fase inicial e evoluir para quadros de sangramento vaginal intermitente ou após a relação sexual, secreção vaginal anormal e dor abdominal associada com queixas urinárias ou intestinais nos casos mais avançados.

Magnitude da doença

Com aproximadamente 570 mil casos novos por ano no mundo, o câncer do colo do útero é o quarto tipo de câncer mais comum entre as mulheres. É responsável por 311 mil óbitos por ano, sendo a quarta causa mais frequente de morte por câncer em mulheres.

No Brasil, em 2022, são esperados 16.710 casos novos, com um risco estimado de 15,38 casos a cada 100 mil mulheres. É a terceira localização primária de incidência e a quarta de mortalidade por câncer em mulheres no país, sem considerar tumores de pele não melanoma.

Em 2020, ocorreram 6.627 óbitos por esta neoplasia, representando uma taxa ajustada de mortalidade por este câncer de 4,60/100 mil mulheres.

Quer receber as notícias do L90 direto no seu celular? Entre em nosso grupo de notícias no Whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *