abril 13, 2024
Ginecologista agressivo deve ser afastado Foto: Reprodução/Agência Brasil

Ginecologista agressivo deve ser afastado

Ginecologista denunciado por chamar paciente de ‘gorda e burra’ e gestante de ‘velha’ deve ser afastado de hospital em SC, decide liminar. Antes da decisão judicial, unidade de saúde havia se negado a acatar recomendação de cinco promotores pelo afastamento do profissional. Hospital disse que se reunia para se manifestar sobre o caso.

O Hospital Maicé, em Caçador, no Oeste de Santa Catarina, terá que afastar um médico suspeito de violência obstétrica e ginecológica contra pacientes atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Entre as denúncias, estão a de uma mulher com câncer, que teria sido chamada de “burra, surda e gorda”, e o de uma gestante, recriminada por ter engravidado mais velha.
A unidade de saúde emitiu nota o hospital disse que “não concorda com os termos da Ação Civil Pública proposta, mas, acima de tudo, respeita todas as ordens judiciais emanadas pelo poder público”

A decisão liminar que determina o distanciamento do médico em até 30 dias foi deferida na terça-feira (12), após a unidade se negar a acatar recomendação de cinco promotores para afastar o profissional, e em cumprimento a sentença de uma ação civil do Ministério Público (MP). O não cumprimento da decisão acarretará uma multa diária de R$ 10 mil, limitada a R$ 1 milhão.

Relatos de atendimento agressivo

A ação do MP foi aberta após relatos de atendimento agressivo e desrespeitoso pelo profissional. Entre as denúncias, há a de uma gestante recriminada pelo médico por ter engravidado mais velha.
A mesma paciente passou 12 horas em trabalho de parto em um procedimento induzido pelo obstetra. Ao dar à luz, conforme o processo, a mulher perguntou por que o bebê não estava chorando e ouviu do médico que era “porque você está chorando por ele”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *