junho 18, 2024
Ciclone no RS: total De mortes chega a 41 foto deiwid felicio

Ciclone no RS: total De mortes chega a 41

Óbitos foram registrados nesta quinta-feira (7) em Muçum, Roca Sales, Imigrante e Cruzeiro do Sul.

Mais duas mortes em Muçum e Roca Sales, causadas pela passagem do ciclone extratropical no Rio Grande do Sul, foram confirmadas pelo governo do estado na tarde quinta-feira (7). Com isso, o total chega a 41. Outros dois óbitos em Imigrante e Cruzeiro do Sul, haviam sido registradas na manhã de quinta.

Foram registrados 41 óbitos nos seguintes municípios gaúchos.

•Cruzeiro do Sul: 4

•Encantado: 1

•Estrela: 2

•Ibiraiaras: 2

•Imigrante: 1

•Lajeado: 3

•Mato Castelhano: 1

•Muçum: 15

•Passo Fundo: 1

•Roca Sales: 10

•Santa Tereza: 1

•Desaparecidos: 25

•Arroio do Meio: 8

•Lajeado: 8

•Muçum: 9

•Feridos: 43

•Pessoas resgatadas: 3.037

•Municípios afetados: 83

•Desabrigados: 2.944

•Desalojados: 7.607

•Afetados: 122.992

Ontem o governo do estado reconheceu o estado de calamidade pública dos municípios atingidos. A portaria foi assinada pelo secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Wolnei Wolff Barreiros, e já está em vigor.

O governador Eduardo Leite visitou Muçum, cidade com maior número de óbitos e que sofreu severamente os impactos da passagem do ciclone.

As mortes registradas no Rio Grande do Sul já superam a maior tragédia natural das últimas quatro décadas no estado, quando 16 pessoas morreram em junho. Em entrevista na noite de terça (5), o governador Eduardo Leite confirmou que se trata da pior tragédia natural que já atingiu o estado.

Fique por dentro das últimas notícias no grupo do WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *