maio 20, 2024
Ritual Jejum de Seita Evangélica mata 400 foto g1

Ritual Jejum de Seita Evangélica mata 400

Número de mortos em seita evangélica que pregava jejum no Quênia passa de 400. As vítimas acreditavam em salvação por meio de inanição. Algumas das vítimas, entre elas crianças, foram estranguladas, agredidas ou asfixiadas, segundo as autópsias.

As autoridades do Quênia descobriram nesta segunda-feira (17) mais 12 corpos de pessoas que morreram de fome por terem sido induzidas a isso por uma seita evangélica do país –até o momento, sabe-se que há 403 mortos em consequência das práticas do grupo.

A história foi chamada de “massacre de Shakahola”, nome da floresta do Quênia onde o incidente ocorreu.

As autoridades esperam que o balanço aumente, já que as buscas pelas valas comuns em uma ampla região do litoral queniano continuam, quase três meses depois da descoberta das primeiras vítimas.

Salvação por meio de inanição

A seita cristã era liderada por um líder chamado Paul Nthenge Mackenzie, um ex-motorista de taxi. Ele atraiu seguidores para a floresta de Shakahola prometendo salvação religiosa por meio da morte por inanição.

Fique por dentro das últimas notícias no grupo do WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *