abril 22, 2024
Paraguai quer 100 mil postos de trabalho foto tv cultura

Paraguai quer 100 mil postos de trabalho


O plano do Paraguai para criar 100 mil postos de trabalho na fronteira com Brasil e congelar impostos
Vagas, diz presidente paraguaio, serão destinadas à indústria maquiladora, responsável por exportar produtos finalizados em terceiros países, em Ciudad del Este. Santiago Peña, que assumiu há um mês, prometeu ainda congelar impostos por 5 anos.

Um mês após tomar posse, o novo presidente do Paraguai, Santiago Peña, anunciou um plano para criar cerca de cem mil postos de trabalho na fronteira com o Paraná.
Peña, economista e ex-ministro da Fazenda com passagem pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), vem defendendo a criação de emprego como uma das principais bandeiras para retomar o crescimento de seu país.
As novas vagas, segundo o governo paraguaio, serão criadas na região de Ciudad del Este, especificamente na indústria de maquilas – empresas que montam ou processam produtos com peças vindas de outros países, geralmente a custo mais baixo que o do país produtor…
O governo paraguaio não informou prazos para os 100 mil novos postos – quatro vezes mais que as vagas atuais no setor local (leia mais abaixo).
As novas vagas fazem parte da aposta de Peña para angariar mais investimentos para o Paraguai. Para isso, ele vem anunciando um ambicioso plano de congelamento de impostos. No início de setembro, durante um evento do setor em Ciudad del Este, Peña isse garantir que não subirá impostos pelos próximos cinco anos.
“Estou interessado em gerar uma revolução na indústria. Não estou interessado em cobrar impostos, mas em criar empregos porque é a melhor política social que um país pode ter”, disse Peña na ocasião. “E a maquila tem sido uma indústria que proporcionou milhares de empregos”.

Fique por dentro das últimas notícias no grupo do WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *