abril 23, 2024
Lagoa gigante forma-se em Balneário Camboriúi Foto Divulgação

Lagoa gigante forma-se em Balneário Camboriúi

Os fenômenos de mudança no cenário da praia de Balneário Camboriú, tornaram-se comum na Barra Norte da praia Central, área que possui especificidades diferentes e recebeu maior quantidade de areia
Depois de secar e se tornar uma mancha gigante na Barra Sul da praia Central de Balneário Camboriú, no Litoral Norte de Santa Catarina, o fenômeno apelidado de “lagoa gigante” voltou a aparecer na região. A área de relevo tem causado curiosidade nos banhistas que visitam a praia.

Na sexta-feira (25), a lagoa voltou a encher de água, o fenômeno é causado pela ressaca, como explicou Toni Frainer, engenheiro e diretor de planejamento e gestão orçamentária de Balneário Camboriú.
“É normal que na região da Barra Sul ocorram pequenas lagoas e escarpas, tanto que em projeto executivo estava prevista colocar volume maior de areia nesta região, pois neste tipo de obra é normal que ocorram esses fenômenos”, salienta Frainer.

O engenheiro destaca ainda que nas praias após o alargamento é necessário este período de conformidade que dependem da natureza para a praia entrar em equilíbrio após eventos com energia de ondas mais intensas, as chamadas de ressacas.
Ainda de acordo com o Frainer, o fenômeno ocorre naturalmente, principalmente em dias frios, porém concentrados na Barra Sul. “Tanto que dos 5,8 mil metros extensão de praia Central, somente nesta região surgem algumas lagoas pequenas que se formam em período curto e o próprio movimento do mar cobrem as mesmas”, destaca.
Ambos os fenômenos ocorrem na Barra Sul, e prefeitura afirma que fazem parte do processo natural de acomodação.

A faixa de areia da Praia Central em Balneário Camboriú, no Litoral Norte, voltou a ter desníveis nesta sexta-feira (25). Desta vez, e a poucos dias de completar um ano da conclusão da obra de alargamento, um degrau e uma lagoa se formaram ao mesmo tempo na região da Barra Sul.
Ambos os fenômenos já tinham ocorrido, separadamente, nos últimos dois meses.

Registros feitos pela manhã mostram a água acumulada entre o mar e a faixa de areia, formando uma espécie de piscina natural. A poucos metros, a erosão também formou um degrau próximo das ondas
Segundo o engenheiro e diretor de planejamento e gestão orçamentária do município, Toni Fausto Frainer, os fenômenos, mesmo que tenham ocorrido ao mesmo tempo, não estão relacionados a fatores externos, mas ao processo de estabilização da praia.
“É acomodação natural. Estamos monitorando, pois é período de equilíbrio da praia pós-alargamento”, explica.
Além disso, o diretor de planejamento municipal disse que a prefeitura aguarda o licenciamento do Instituto do Meio Ambiente (IMA) para iniciar a obra de instalação de geotubos, que são bolsas de grande volume de areia usadas para conter o avanço da erosão e consequente formação dos degraus.
O projeto não tem licitação aberta, mas o andamento está dentro do cronograma, conforme o engenheiro.

Fique por dentro das últimas notícias no grupo do WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *