abril 23, 2024
Cerca de 30 pinguins não resistem à migração e encalham sem vida entre Laguna e Imbituba Foto: Divulgação

Cerca de 30 pinguins não resistem à migração e encalham sem vida entre Laguna e Imbituba

O período migratório dos pinguins-de-magalhães, quando eles deixam as colônias reprodutivas na Patagônia argentina para seguir cardumes em correntes de água fria até a costa brasileira, já teve início. Mas muitos desses animais não sobrevivem a esse processo que tende a seguir até outubro. Nos últimos dias, entre os Molhes da Barra, em Laguna, e a Praia do Luz, em Imbituba, 29 pinguins apareceram, encalhados, sem vida.

De acordo com o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), coordenado pela Udesc em Laguna, há diversas causas levantadas para a morte dos pinguins, cuja maioria é juvenil ou de primeira viagem. Com isso, eles têm dificuldade em conseguir alimentação e perdem energia. Além disso, enfrentam grandes tempestades ou ficam presos em redes de pesca.

Os animais mortos são recolhidos e levados para a unidade de estabilização, onde passa por processo de necropsia para identificar a cuasa da morte e conferir se eles possuem chips subcutâneos de identificação, que são inseridos quando, em algum momento, passaram por reabilitação, antes de serem devolvidos à natureza. O equipamento permite monitoramento depois da liberação ao habitat.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *